Dissidência Digital

>> 20090915


A opinião pública é a opinião publicada nos meios de comunicação, que já não dependem de subscritores, leitores, telespectadores ou ouvintes, mas sim dos seus anunciantes. Trabalham com notícias que procedem, em mais de 90% dos casos, das mesmas fontes transnacionais ou governamentais, quer dizer, directamente do dono ou do seu instrumento. Cada vez mais existe a impressão de se ver uma só televisão e um só jornal com diferentes apresentadores ou designs. É a uniformidade disfarçada de diversidade.

A democracia é eleições pluri-partidárias ou não é, se bem que seja também corrupção, clientelismo, apatia politica e abstencionismo. Os “gurus” do pensamento trabalham destemidamente para garantir ao sistema que com o voto só muda a cor da mascara com que se tenta encobrir a dominação.

Os milhões que protestam contra a exploração capitalista, a guerra ou os genocídios, nunca serão chamados dissidentes, mas sim “terroristas”, “globalifóbicos”, ou quanto muito ”bandos”, como tal podem-se reprimir, assassinar e torturar impunemente com as armas da democracia representativa.


A Internet, ainda que também invadida pelas grandes empresas, brindou aos movimentos sociais a possibilidade de colocar, de imediato e a baixo custo, a informação que oculta a inundação mediática.

Nestes tempos de Internet e exclusões, de satélites e fome, Carlos Max, sorridente e subversivo, sussurra nos ouvidos do mundo: “dissidentes de todos os países, comuniquem-se”.

"Elogio da dissidência" por Iroel Sánchez

0 comments:

Banksy - Wall and Piece

The ones who come around

  © Blogger templates by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP